EDUCAÇÃO E IGUALDADE RACIAL

Educação e Igualdade RacialNo dia 27 de setembro completou um mês do caso de injuria racial cometido por uma torcedora do Grêmio ao goleiro Aranha do Santos. O fato ganhou ampla divulgação na imprensa e dividiu torcedores. O resultado final levou a desclassificação do Grêmio da Copa do Brasil e uma multa de 50 mil reais, além da proibição de torcedores que praticaram atos racistas de entrarem na Arena. Surge uma pergunta: será que aprendemos alguma coisa com tudo isso? A culpa não deve recair sobre um time ou uma pessoa especificamente. O caso de racismo deve levar a toda sociedade a refletir: afinal, somos também racistas?

Neste sentido, devemos pensar sobre o que tem sido feito para que situações como essa não ocorram novamente. Muitos acham que investir na Educação é investir numa sociedade mais igualitária e consciente. Eu acredito nisso também. Desde 2003, há uma Lei, a 10.639, que torna obrigatório o ensino da História da África e da Cultura Afro-Brasileira nas escolas públicas e privadas do país. Uma lei que chegou tardiamente, diga-se de passagem, mas que tem trazido um impacto importante na formação de nossas crianças e adolescentes. Tem contribuído, principalmente, para que o tema do racismo e do preconceito seja discutido na sala de aula.

Os professores que não se sentem preparados para tratar de um tema tão delicado como este não devem temer. Existe um curso de aperfeiçoamento da UNIAFRO, coordenado pela professora da UFRGS, Gládis Kaercher, que forma professores com o objetivo de alcançar a igualdade racial na escola. É um curso gratuito e à distância que dura aproximadamente seis meses. É uma boa pedida para quem quer se qualificar e contribuir para uma educação antirracista. Este curso já está sendo realizado aqui em Jaguarão. Enfim, não estamos de braços cruzados. Muito tem se trabalhado para que uma nova geração aprenda a viver, respeitar e considerar o diferente, não importando a sua cor. Ainda estamos no começo. Mas não podemos fugir de enfrentar o racismo e o preconceito institucionais. Eles estão enraizados em nossa sociedade. Afinal, não somos também racistas?

Artigo Publicado no Jornal  Fronteira Meridional – Jaguarão / RS, Coluna Opinião, 15-10-2014.
Download do Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *